top of page

Por que comecei a Consultoria de Estilo e meu blog?

E, de repente, me veio aquele click: "Consultoria é muito além de roupas, é sobre a PESSOA que usa as roupas.


Em Dezembro de 2021 eu postei no meu Instagram (@uyara_teixeira) sobre o momento que considerei como um "divisor de águas" da minha transição para a Consultoria de Estilo, que foi durante a produção do meu TCC da faculdade de Jornalismo, em 2017, mas a história começa bem antes disso.

Hoje eu consigo enxergar que o processo vem acontecendo desde minha adolescência para que hoje eu pudesse trabalhar com isso.



Confesso que não era exatamente meu sonho de carreira. Rs Eu queria ser Stylist de uma grande revista e Jornalista de Moda. Eu queria inspirar como eu fui inspirada por grandes nomes do Jornalismo. Acho que desde sempre eu acredito que Moda tem a ver com comunicação, ou seja, que as roupas, as cores, o nosso visual, tudo comunica sobre quem somos - ou gostaríamos de ser. Mas, uma das coisas que mais me angustiava era: "Como vou alcançar pessoas com Moda?". Eu achava que somente dentistas, psicólogos, médicos e até cabeleireiros poderiam ajudar pessoas com suas atividades em ações sociais e missões. Eu pensava que não era possível fazer isso através da Moda. (Mas, é!)


Como eu queria fazer duas faculdades, Jornalismo e Moda, decidi fazer Moda primeiro, pois além de só existir em faculdades particulares na época, eu queria aprender mais sobre o que eu iria escrever. E, claro, minha mãe poderia pagar. E depois eu faria a faculdade de Jornalismo por mim me$ma depois que começasse a trabalhar e tal. Essa era a ideia. Esse era o plano.

Fiz então o vestibular para Moda e entrei na Estácio, no RJ, com 18 anos e me formei com 21. E, curiosamente, o meu Trabalho de Conclusão de Curso tinha como tema: A Linguagem das Cores. Jornalismo só aconteceu anos depois.


Parte I: Rio de Janeiro

Quando eu era adolescente eu frequentava uma igreja evangélica protestante e um pouco tradicional no Rio de Janeiro. Desde aquela época, existiam as meninas mais populares e que “ditavam” moda. Eu não era uma delas. Pelo contrário. rs E eu queria fazer parte do grupo. Na época, eu lembro de uma modinha de shorts que pareciam cuecas tipo samba canção, que quase todas usavam e elas iam vestidas assim para o culto de manhã. Ao mesmo tempo que eu queria ser parte do grupo, não queria ser igual a todo mundo e já tinha certo senso crítico. Mas, eu não fazia ideia disso. ahahaha E então, eu ia adaptando as "modinhas" do meu jeito.


No início dos anos 2000 eu frequentei uma igreja Neo Pentecostal em Campo Grande e lá eu aprendi muito mais sobre vestimentas do que em qualquer outro lugar. Foi uma experiência única. Sem religiosidade, com liberdade, porém com muito estilo e bom senso. Era algo natural para aquelas mulheres. Eu fiquei encantada com o estilo pessoal delas, desde as mais novas até as mais velhas: a maioria, pelo menos, parecia ter o cuidado de se vestir bem, porém, sem se expor e sem expor o corpo. (Nessa época, quando eu ia às compras, eu até fazia testes nas cabines das lojas levantando as mãos para ver se minha barriga iria aparecer. rsrs)

Porém, entre idas e vindas do Rio para Barra de São João, onde a minha família morava, eu acabei ficando em Barra.


Entre 2009 e 2010 eu voltei ao Rio para fazer o curso de especialização de Jornalismo de Moda, do Senac/RJ. Foi outro sonho realizado! E nesse período eu atuei como Assistente de Produção de Moda. Era uma área complicada, pois muitos trabalhos não eram remunerados. Mas, as contas continuavam chegando e ficou complicado continuar, por mais que eu quisesse. Foi quando, então, voltei para casa da minha mãe, em Rio das Ostras. Logo depois comecei a trabalhar numa loja e fiz o vestibular para Jornalismo em Macaé, em 2011. E eu tinha passado em primeiro lugar. Nem acreditei quando vi o resultado. haha Foi um êxtase!


Artigo escrito para um jornal local de Macaé, em 2015./Arquivo pessoal


Parte II: Rio das Ostras/Macaé e a faculdade de Jornalismo

Em meados de 2012, já com 20 e poucos anos, voltei a frequentar uma igreja local da mesma denominação que eu frequentava na minha adolescência. E me deparei com a mesma situação(!): reparei que algumas mulheres se vestiam de uma forma que chamavam a atenção, mas de um jeito não muito bom. Após um episódio inesquecível com um look de uma das meninas do grupo de louvor adolescente, cada vez mais acendia em mim a vontade e o desejo de falar com elas sobre Moda, estilo, imagem à luz do que a Bíblia ensina.

E foi quando no final da faculdade de Jornalismo, durante o estudo para a produção e apresentação do meu TCC, que vi na Consultoria de Estilo, uma forma de ajuda-las.

Na verdade, meu desejo inicial era falar às igrejas, mas, eu sabia que tinha que estudar bastante antes.


E aí eu comecei a estudar e investir na Consultoria de Estilo e Imagem e depois da Coloração Pessoal, com o único propósito de aliar o serviço ao conteúdo que eu já produzia aqui, no UYARICES, para ajudar, orientar e ensina-las como usar a Moda e as Cores a favor da própria imagem, do próprio estilo pessoal, à Luz da Palavra, para que cada uma pudesse refletir o caráter cristão através do visual. Mas, claro, não seria um trabalho direcionado somente para mulheres cristãs. Pelo contrário. Seria para todas as mulheres.


O blog

O UYARICES surgiu da minha intenção de responder a uma das perguntas que mais escutava as pessoas fazendo depois de assistirem os desfiles: "Como alguém vai usar isso na vida real?!"


Assim, há quase 10 anos eu criei o UYARICES com a intenção de explicar sobre as principais coleções apresentadas para que todos pudessem conhecer de onde vinham e viriam as tendências que iríamos achar nas lojas. Queria de alguma forma, tornas as informações mais leves e com uma linguagem acessível e espero que esteja conseguindo alcançar isso depois de tanto tempo. rsrs

Hoje, o objetivo principal


A pergunta que não quer calar num comentário do Instagram em 30/04/2022. 'Alguém realmente compra e usa essas peças na vida real?"



No final, o objetivo continua o mesmo e se resume em três palavras:


Inspirar: apresentar as principais tendências de moda, beleza e cores para você estar sempre bem informada. Além de looks e mulheres inspiradores da Bíblia.


Ensinar: te ajudar a identificar o seu estilo pessoal e te mostrar como entender e interpretar os códigos das roupas, das formas e das cores para você usar o que for melhor a favor da sua imagem.


Democratizar: tornar a Consultoria de Estilo e a Coloração Pessoal acessíveis para todas.


Gostou de saber um pouco desses bastidores? Continue acompanhando para saber mais.

Esse foi o resumo da Live #1 O início que aconteceu na última terça-feira, dia 09, no YouTube. A Live #2 será na próxima terça-feira, dia 23 de Maio.


Se você ainda não está inscrita no meu Canal, aproveite e clique no botão abaixo para se inscrever e ative o sininho para receber as notificações dos próximos vídeos.




Te espero lá!

Bjs,

Uyara

 

4 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Commenti

Valutazione 0 stelle su 5.
Non ci sono ancora valutazioni

Aggiungi una valutazione
bottom of page